choro2

Cólica do Lactente: aprenda a lidar com o seu bebê

O tema de hoje será a tão temida cólica do lactente. Acomete até 28% (a depender da referência) dos lactentes saudáveis, e é motivo de verdadeiro pânico por parte das mães.

 

Então vamos aos fatos!

Apesar de ser uma quadro reconhecido por pediatras há mais de 1 século, apenas em 1954 apareceram critérios objetivos de diagnóstico, quando Wessel criou sua classificação, a mais utilizada até hoje.

 

Quais são os critérios para eu pensar que o bebê tem cólica do lactente?

Segundo ele, a regra dos “3” é a que norteia o diagnóstico: pelo menos 3 horas de duração, desaparecem aos 3 meses, pelo menos 3 dias/semana. Além dessas regras, o choro tem hora certa para começar e terminar, parece que o bebê tem um interruptor de liga e desliga.

 

A partir de quando a cólica do lactente pode aparecer?

Pode aparecer a partir da segunda semana de vida e se caracteriza por choro súbito, inconsolável( não atende às medidas usuais de conforto como colo, bico, amamentação, troca de fraldas) e inexplicável. Podem ocorrer pequenas pausas, mas sempre volta com tudo, até que efetivamente o bebê durma ao final de todo esse sofrimento.

 

Quando não pensar em cólica do lactente?

Bebês que choram o dia todo, ou são constantemente irritados ou dormem mal em todos os horários, não são, portanto, candidatos a terem o diagnóstico( ao menos isoladamente) de cólica do lactente. Procure o seu pediatra para orientações se esse for o caso.

 

O que causa a cólica do lactente?

Apesar de ser conhecida há muitos anos, e incomodar muito bebês e pais, não se sabe ao certo qual a causa desse desconforto. Inúmeras teorias foram criadas acerca do tema, contudo, sem nenhuma comprovação aceita até o momento. Uma das últimas teorias em voga é que a cólica seria secundária a um desequilíbrio da flora intestinal do bebê( em especial os nascidos de parto cesariana), o que geraria excesso de gazes e desconforto.

 

Existe tratamento para cólica do lactente?

Uma medicação existente no mercado, já aprovada no Brasil e denominada Colikids, tenta atuar justamente nesse reequilíbrio da flora intestinal. Ela é composta por um lactobacilo vivo, o lactobacillus reuteri DSM 17938. Estudos multicêntricos bem conduzidos e publicados em revistas de peso como Pediatrics e The Journal of Pediatrics, mostraram que o uso dessa medicação reduz o tempo de cólica nesses lactentes, em comparação com o placebo (simeticona).

Um desses estudos foi patrocinado pelo laboratório que produz a medicação, mas em se tratando dessas revistas, considero estudos bem confiáveis. Esse efeito é notado a partir de 7 dias de uso, com pico de ação em torno de 21 dias. Notem bem que há uma redução do tempo de sintomas, e não eliminação da cólica ou redução da qualidade dos mesmos. Não esperem milagres.

A princípio está indicado para lactentes em aleitamento materno exclusivo (a medicação foi testada  nesses bebês). É considerada medicação segura e bem tolerada nesses estudos, e, para esse fim, deve ser utilizada até os 3 meses de vida do bebê.Procure seu pediatra para orientações sobre dosagem e modo de uso.

A simeticona não se mostrou eficaz para cólica. Evite abusos nesses primeiros meses.Não dê chazinhos ou quaisquer outras receitinhas ou medicações milagrosas, elas podem fazer mal para o seu bebê e ainda podem atrapalhar a aceitação do leite.

Outras medidas clássicas para tentar acalmar o sofrimento do bebê são: banho morno, ambiente tranquilo com música relaxante, massagem abdominal em sentido horário, compressa morna (muito cuidado com queimaduras), posicionamento da criança de bruços sobre o antebraço de quem estiver segurando o bebê. No entanto, alguns bebês não respondem a nada, e só resta dar aconchego e torcer para acabar logo.

Recentemente o pediatra americano Robert Hamilton, criou um método denominado “The Hold”, e que, segundo ele, tem uma eficácia de mais de 90%. Ele é muito experiente, mas nada que tenha sido comprovado com estudos científicos. O vídeo com o método está disponível no canal youtube, e já foi acessado mais de 17 milhões de vezes. Acho que não custa a tentativa.

Como regra geral, para as crianças que se enquadram nos critérios de cólica do lactente, ficam as seguintes dicas: fique tranquila, o quadro é auto limitado e vai desaparecer. Aparece em crianças saudáveis, e não atrapalha ganho de peso, crescimento e desenvolvimento. Procure passar tranquilidade para o bebê, duas pessoas agitadas não se acalmarão nunca. Dê colo e carinho para o seu filho se nada funcionar. Apesar do choro, seu bebê vai gostar, e como já disse, o desconforto tem hora para acabar.

cólica lactente

 

Espero ter ajudado com essas dicas!!

Um grande abraço e até o próximo assunto!!!

O que deseja encontrar?

Compartilhe