cosméticos

Cosméticos na criança: o que os pais devem saber?

Seja por influência da televisão e da internet ou pelo estímulo dos pais, a utilização de cosméticos em crianças é cada vez mais frequente. Porém, existem limites para essa prática e eles precisam ser conhecidos e ensinados pelos responsáveis.

As crianças podem usar cosméticos infantis?

Sim. Todos os produtos destinados ao uso das crianças passam por testes de segurança, que avaliam, por exemplo, se causam irritação na pele ou alergias. Além disso, esses produtos são submetidos a uma fiscalização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Por isso, uma recomendação muito importante é: antes de adquirir um produto para seu filho, verifique se ele é liberado pela Anvisa. Mesmo que pareça um excesso, toda essa exigência é necessária, pois a pele das crianças é muito mais sensível do que a dos adultos.

Esse cuidado, é claro, não garante que o produto não irá causar nenhum tipo de reação, mas pelo menos minimiza as chances.

No entanto, muito cuidado com o uso precoce de maquiagens e esmaltes, totalmente desnecessários na infância, podendo, inclusive, levar a uma adultização precoce. Criança tem que ser criança, de cara limpa, viver a infância.

Quando me refiro a cosméticos, me refiro muito mais a outros produtos, como hidratantes e filtros solares.

Usar cosméticos em crianças causa riscos?

Em função do uso cada vez mais precoce de maquiagens, esmaltes e outros produtos de beleza, o número de diagnósticos de dermatite de contato e alergia cutânea vem aumentando a cada ano, principalmente nas meninas. Recentemente, no consultório, fui indagada por uma família se podia usar gliter em um bebê de 10 meses na época do carnaval.

Por isso, evite produtos voltados para o público adulto, maquiagens e esmaltes. Eles são os principais vilões da pele infantil.

Recomendações para o uso dos cosméticos infantis

Como não existe uma idade segura para iniciar a utilização destes produtos, e nem é possível saber antecipadamente se a criança é ou não alérgica a eles, é o bom senso dos pais que precisa prevalecer. Nesse sentido, siga as seguintes recomendações:

  • utilize apenas produtos específicos para a faixa etária do seu filho;
  • siga as orientações sobre o modo de usar, descritas na embalagem;
  • evite a compra de itens que venham em embalagens de aerossol, preferindo aquelas que tenham válvulas de dosagem, em gel ou creme
  • supervisione o uso dos cosméticos e deixe-os trancados pelo risco acidental de ingestão e de contato com mucosas.
  • dê preferência a sabonetes líquidos, idealmente sem fragrância e que tenham sido dermatologicamente testados; Os melhores são os de pH ácido, em torno de 5,5.
  • não use sabonetes antissépticos ou antibacterianos nas crianças;
  • o uso de protetor solar, hidratante e repelente pode ser realizada a partir dos 6 meses de idade.

Se utilizar qualquer produto que dê reação na pele do seu filho, procure orientação com o pediatra ou com o dermatologista. Evite fazer uso de produtos diferentes na pele do sua criança. Menos é mais.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como pediatra em Nova Lima!

O que deseja encontrar?

Compartilhe