dor de crescimento

Dor de crescimento: como identificar?

Dor de crescimento é uma quadro relativamente comum em pediatria. Já havia ouvido falar no assunto? Leia o texto e saiba quais são os sintomas, como diagnosticar e quais os tratamentos indicados.

O que é a dor do crescimento?

É uma condição que acomete, em sua maioria, crianças entre 3 e 12 anos de idade, podendo, no entanto, ocorrer em crianças mais velhas. Apesar do nome, não existe relação verdadeira entre quaisquer fases do crescimento e o aparecimento da dor.

O nome, consagrado pelo uso desde o século XIX,  continuou a ser usado para diferenciar essa condição de outros problemas crônicos, que também causam dor nas crianças. A dor do crescimento não tem uma causa definida.

Quais os sintomas apresentados pela criança nos casos de dor de crescimento?

  • A dor costuma ser bilateral
  • Os locais mais comuns são coxas, panturrilhas, canelas e parte posterior dos joelhos;
  • Não apresenta anormalidades ao exame clínico;
  • Ocorrência noturna, podendo despertar a criança do sono;
  • Ao acordar, a criança já não sente mais a dor;
  • A criança pode passar dias, semanas ou até meses sem reclamar do problema; Geralmente os sintomas não são diários.
  • Raramente acomete os membros superiores;
  • Início do quadro entre 3 e 6 anos;
  • Doença de evolução crônica, benigna e autolimitada;
  • Não cursa com limitação física, edema articular, vermelhidão ou quaisquer outras alterações ao exame.

Como é feito o diagnóstico?

Dor de crescimento é um diagnóstico de exclusão.

Ao fazer o exame físico, não há a constatação de nenhuma alteração. Não há restrição de movimentos, redução da força, alterações de marcha ou de equilíbrio. Não existe edema, vermelhidão ou dor à palpação dos membros.

Os exames laboratoriais também são normais. Os exames de imagem também podem ser necessários para auxiliar no diagnóstico diferencial.

O diagnóstico de dor do crescimento é confirmado diante de uma história clínica suspeita, após afastados todos os possíveis diagnósticos diferenciais.

Qual é o tratamento?

Massagens costumam ser efetivas na grande maioria dos casos. Nas situações em que a dor é intensa, e refratária à massagem, podem ser necessários o uso de analgésicos comuns, ou até de anti-inflamatórios.

Caso seu filho tenha um quadro sugestivo de dor dor do crescimento, procure o seu pediatra ou ortopedista pediátrico para avaliação completa.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como pediatra em Nova Lima!

O que deseja encontrar?

Compartilhe