obesidade infantil

Obesidade infantil: causas e tratamentos

A obesidade infantil ocorre quando a criança apresenta o peso acima do recomendado para sua idade e altura. A falta de uma alimentação saudável e hábitos sedentários estão diretamente relacionadas ao excessivo ganho de peso, problema gravíssimo de saúde pública. 

Escrevi um outro post explicando como se define que uma criança está acima do peso: Criança acima do peso: como identificar?

O sobrepeso já nos primeiros anos de vida pode trazer consequências negativas para as crianças e problemas de saúde na vida adulta, tais como: diabetes, problemas osteoarticulares, hipertensão e colesterol alto. Além disso, é comum associação com baixa auto estima e sintomas depressivos, mesmo na infância. 

Neste post, trazemos mais informações sobre o assunto. Continue a leitura para saber mais!

Como a criança pode desenvolver obesidade?

Erros alimentares são naturalmente o principal fator. A ingestão de calorias superior ao gasto metabólico, acaba gerando sobras, e por conseguinte acúmulo de tecido gorduroso. 

Os dois principais erros alimentares costumam vir em conjunto: ingestão excessiva de alimentos e ingestão de alimentos com baixo teor nutricional e altas quantidades de caloria e gordura. O problema é que nesse segundo grupo entram os alimentos de excelente aceitação por parte das crianças ( e adultos!).

Somado a isso, é muito comum nos casos de obesidade infantil, um problema que, na verdade, tem sido cada vez mais prevalente nas crianças de uma forma geral: baixíssima ingestão de vegetais folhosos, leguminosas, oleaginosas, legumes e frutas. Esse hábito, a longo prazo, acaba gerando carência de micronutrientes, quadro denominado fome oculta.

O sedentarismo é, sem dúvida alguma, o outro pilar da obesidade. Crianças ficam cada vez mais restritas dentro de casa. Fazem poucas atividades ao ar livre, ficam horas sentadas exposta aos eletrônicos. Na grade curricular da maioria das escolas, educação física figura 1 ou 2 vezes na semana, e, mesmo assim, o tempo efetivo de atividade é muito curto para a criança.

Fatores genéticos sempre devem ser considerados. Filhos de pais obesos têm maior propensão a também apresentarem excesso de peso. Além disso, algumas doenças e síndromes também apresentam, nas suas apresentações clínicas, o ganho de peso como característica. Por esse motivo, é muito comum a necessidade de avaliação e acompanhamento endocrinológico em muitos casos de obesidade infantil.

Como tratar a obesidade infantil?

O tratamento do problema é complexo, uma vez que envolve hábitos e mudanças no estilo de vida. A abordagem é individualizada, considerando a idade da criança, a causa da obesidade e o contexto familiar. No entanto, há algumas atitudes que fazem toda a diferença para melhorar a saúde dos pequenos.

Alimentação saudável

Os pais devem investir em frutas, legumes e vegetais, assim como dar preferência para alimentos integrais. Industrializados como os biscoitos, bolachas, enlatados, refrigerantes, suco de caixinha, fast-food e refeições prontas devem ser evitadas.

Prática de atividades físicas

Os exercícios físicos são essenciais para a saúde, e de quebra, ajudam no gasto energético.  Atividades aeróbicas como natação, andar de bicicleta e correr, deveriam ocupar cerca de 1 hora por dia na grade de atividade diária de qualquer criança, mesmo as que não têm problema com peso. 

Dê bons exemplos para incentivar uma vida saudável

Ter uma rotina saudável, comendo bem e fazendo atividades movimentadas, serve de exemplo para os filhos. Da mesma forma, o consumo de uma dieta saudável dos pais, é o mínimo para estimular os filhos a comerem da mesma forma. Se a criança só come guloseimas é porque alguém também come, ou, pelo menos compra para a casa. 

Segue link de dicas para melhorar a alimentação do seu filho:

http://draleticiarubim.com.br/alimentacao-saudavel-para-crianca/

http://draleticiarubim.com.br/estimular-crianca-a-comer/

Faça atividade física se possível junto com o seu filho. Se isso não for possível, pelo menos dê o exemplo. 

Restrinja o tempo de uso dos eletrônicos e se policie para também não ficar o tempo todo com celular e computador enquanto estiver com a criança.

Desligue os aparelhos eletrônicos na hora da refeição. Comer idealmente em família, com todos sentados na mesa.

Busque ajuda profissional

É muito difícil conseguir êxito no controle do peso sem orientação adequada. Habitualmente, o acompanhamento multidisciplinar é o mais adequado. Pediatra, endocrinologista, nutrólogo, nutricionista e psicólogo podem ser necessários a depender de cada caso. Evite dietas milagrosas  e dicas de conhecidos. Regime precisa de orientação profissional!!!! Mudança de hábitos de vida são muito difíceis, mas geram respostas duradouras.

A obesidade infantil é uma doença grave que não pode ser negligenciada. Sua detecção precoce através das consultas de rotina pediátricas e consequentes condutas, pode evitar a cronificação do quadro e problemas para o resto da vida. 

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como pediatra em Nova Lima!

O que deseja encontrar?

Compartilhe